Paulo Roberto Maturano Santoro é escritor e criador de jogos. Nasceu em Ribeirão Preto (SP), em 1972. Atualmente reside em São Paulo (SP).

Bacharel em Letras, pela USP, foi em 1999 selecionado para participar do Círculo de Dramaturgia do CPT, criado por Antunes Filho, onde permaneceu até 2006.

Antunes Filho foi o responsável por sua estreia no Teatro, ao dirigir sua peça O canto de Gregório, com Arieta Correa e Juliana Galdino, entre outros. Esse espetáculo teve 121 apresentações entre 2004 e 2006, valendo ao autor uma indicação ao Prêmio Shell de Teatro. O texto recebeu nova encenação em 2011 pelo grupo pernambucano Magiluth.

Em 2007, estreou seu espetáculo Carina está viva, monólogo com Michelle Ferreira e direção de Ernani Sanchez.

Em 2008, estreou seu espetáculo A mulher que ri, dirigido por Yara de Novaes, com Eloisa Elena, Plínio Soares e Fernando Alves Pinto.

Em 2012, foi a vez da peça Plínio contra as estrelas, dirigida por Cesar Augusto, com Renato Cruz e Raquel Anastasia.

Duas de suas peças foram lançadas no livro “Círculo de Dramaturgia”, publicado em 2006 pelo Sesc-SP, com organização de Antunes Filho: O canto de Gregório e O fim de todos os milagres.

Sua peça O fim de todos os milagres foi selecionada pelo Ministério de Relações Exteriores para integrar o livro “Teatro Brasileño Contemporáneo” (em espanhol) em 2014.

Dando prosseguimento ao propósito de divulgar a dramaturgia contemporânea do País, o Ministério também levou a obra para leituras dramáticas na Espanha e na Itália, sempre nos idiomas locais.

A peça foi publicada ainda em francês e chinês e está para ser lançada a versão em inglês.

Em 2015, publicou seu primeiro romance, A vida longa dos vermes.

Em 2016, estreou sua peça O teste de Turing.

E-MAIL é melhor do que redes sociais, que diluem as comunicações e até mesmo decidem quem vai recebê-las e quem não vai.

Receba uma vez por mês uma mensagem de e-mail com histórias inéditas de Paulo Santoro. Basta inserir seu e-mail no campo ao lado e teclar Enter.