turingMachine

LEITURA DRAMÁTICA — O TESTE DE TURING

O Núcleo Arte Ciência no Palco, em projeto realizado com apoio da Funarte, fará a leitura dramática da peça O Teste de Turing, de Paulo Santoro.

Data: 30 de julho (quarta)
Horário: 20:30
Local: Teatro de Arena Eugênio Kusnet
Rua Doutor Teodoro Baima, 94 – República – São Paulo - SP

Gratuito

O teste de Turing é uma obra de ficção científica que se passa num futuro indeterminado. Utiliza o conceito de “inteligência artificial” como espelho para revelar as limitações da própria consciência humana.

Uma empresa de tecnologia afirma que construiu uma máquina capaz de simular por completo a consciência e o comportamento dos seres humanos. Para comprovar essa proeza, precisa fazer com que seu equipamento seja aprovado no famoso “teste de Turing”. Três diferentes profissionais (um linguista, um programador e um matemático) são chamados para pôr esse teste em prática.

Alan Turing nasceu em 1912, em Londres. Matemático de imenso talento, tornou-se um dos maiores pioneiros da Computação, ao desenvolver, em teoria, a “Máquina Universal”, conhecida também como “máquina de Turing”. Também trabalhou ativamente durante a Segunda Guerra Mundial para quebrar códigos das comunicações alemãs.

O teste de inteligência
Com o propósito de verificar se é possível atribuir a um computador a noção de “inteligência”, Turing elaborou um teste que se tornou referência na questão. O teste consiste de um ser humano que, fechado em uma sala com acesso apenas a um terminal com teclado, “conversa” (como num chat de internet atual), ao mesmo tempo, com outro ser humano (que está em outra sala igual, assim como ele) e com um computador. Se esse aplicador do teste não conseguir distinguir, dentre os dois “indivíduos”, qual era o computador e qual era o ser humano, o computador terá passado no teste de Turing.

A Informática no mundo moderno
No século XXI, cada vez mais se compreende que o computador é menos “tecnologia” do que parte da vida. As pessoas mais jovens já vivem intensamente sob esse paradigma. De tal forma que dificilmente se tem a visão de todas as implicações que a simples existência da computação pode significar para o sentido da vida. O teste de Turing procura mostrar que o desenvolvimento da inteligência artificial pode, num certo futuro, significar um desafio ao modo como o homem se vê e às suas crenças mais profundas.