Entries by Paulo Santoro

HISTOREMAS

A realidade tem mil tons de cinza. Historema. s. m. 1. Maior que um tuíte. 2. Menor que um conto. 3. Um pedaço básico de história. Estou relançando as “historemas” depois de ter infelizmente perdido o site anterior, incluindo os comentários. Publicarei uma por uma, a cada semana. Deixe o seu comentário por lá! Clique […]

O TESTE DE TURING

O teste de Turing está finalmente em cartaz! Estreia hoje, 15 de julho de 2016, uma peça que concluí em 2004 — depois disso ela passou apenas por leves ajustes de algumas frases. Foram, portanto, mais de 4.000 dias de espera, o que justifica minha alegria! Depois de assistir a um ensaio geral, sinto-me entusiasmado: […]

O ESTUPRO, A IDEOLOGIA E O LADO EM QUE VOCÊ ESTÁ

Essa coisa pavorosa que aconteceu no Rio e mobilizou a internet provocou no Sensacionalista uma inusitada postura: um dia sem piadas. Certamente não tinha como fazer graça com qualquer coisa. O próprio Sensacionalista, hoje, fazendo “piada séria”, apontou a ferida para todos com sua manchete: “Polícia do Rio vai considerar mortos em áreas violentas como […]

POR QUE GOSTAMOS DE CINEMA?

Sabem por que gostamos de filmes de cinema? Na segunda-feira, você está ocupado com seu desempenho no trabalho, manda currículos em prospecção de novas oportunidades, planeja cursos, concursos, vislumbra dias diferentes. Na terça, tudo o que lhe ocorre é sair, encontrar uma mulher bonita, abraçá-la e beijá-la, ir para a cama com ela. Na quarta […]

Lobato, branco de alma negra?

A imagem acima é de uma escola infantil de São Paulo que fica numa avenida bem movimentada. Dentre as caricaturas coloridas de bons escritores nacionais, está a de Monteiro Lobato, há muito tempo pichada e não restaurada. Esse vandalismo representa um novo tipo de intolerância que exige que as pessoas sejam completamente perfeitas. Monteiro Lobato, […]

O que é ser um escritor “brasileiro”?

Em outubro de 2015, algumas peças brasileiras contemporâneas foram apresentadas ao público espanhol em Madri. (Na foto, estou com Celia Bermejo e Pedro G. de las Heras, artistas que atuaram em meu texto O fim de todos os milagres.) Os autores presentes (tive a ótima companhia de Pedro Brício e Silvia Gomez) tiveram algumas conferências com […]